Ocorreu um erro neste gadget

quinta-feira, 5 de fevereiro de 2015

Aline&Carlos-Conto


ALINE&CARLO


Ela era tipo: hoje e não sei de manhã. Ele vivia como se pudesse durar para sempre. Não sei como conseguia. Juntos conseguiam se completar. Para ela, bastava ter ele, ao contrário do bom moço que cursaria Direito na melhor faculdade do estado. Tolo, não sabia ele que seu forte era pintar. Mas não via futuro. Queria enriquecer. Ter o nível superior e não ter chefes. Que erro. Aquele idiota precisava ser mandado. Encostado na parede e o feito parar. Ela foi ficando para trás, o pouco bastava. Não queria ter a profissão dos sonhos, ou todo dinheiro do mundo. Só queria Carlos e a felicidade. Para ele, é pouco demais. Novembro de um ano turbulento, ele pegou sua mala cinza e colocou suas roupas preto&branco. Desceu as escadas e não deu a minima ao que estava deixando. Queria ficar rico. Ela só queria ser professora, dar aula ao maternal ou jardim I. Só dar aulas. É claro que Carlos achou aquele pensamento pequeno demais.Queria alguém que crescesse com ele. E ela não compactuava com estilo de vida que ele pretendia estabelecer. Ela tentou impedir, mas ele precisava ir embora. Sempre precisou. Ela se formou em pedagogia, se tornou professora. Comprou um carrinho que quase não funciona. Faz serviço comunitário frequentemente e conquistou exatamente o precisava. Ele, se formou em Direito, casou, teve um filho e tem um ótimo carro. Um apartamento e outro imóveis. Tem muito dinheiro.

E eles se desencontraram. 

Certo dia, no colégio de Caio, filho de Carlos, lá estava a professora dedicada. Caio gostava mais da professora que da mãe. E em um dia desses, depois de tantos afagos em Caio, Carlos chegou com o motorista na mesma hora em que Aline, a professora. Ela não o viu. Caio gritava na rua por sua professora, que atendeu e o abraçou. Caio era o menino mais feliz do mundo nos braços de Aline. E Carlos sabia bem como era isso. 

E um dia, novamente, ele encontrou com Aline. Estava de vidros fechados e observava frequentemente a moça de longe. Por um acaso, no dia seguinte, ela chegou mais cedo e percebeu que aquele carro de sempre, levava um passageiro, Carlos.

- Oi Carlos.
- Oi Aline.
- Como vai?
- Bem e você?
- Dá pra ver pelo meu paletó italiano que estou muito bem.
- Não. Dá pra ver que tem dinheiro, só isso. Conseguiu o que queria!
- Sim, consegui. E você também. A diferença entre nós dois é que eu ganho 100 vezes mais que você.
- Verdade. Tem outra diferença entre nós dois também.
- Qual?
- Sou cem vezes mais feliz que você.

E naquele momento, ele percebeu novamente, que cada um tem o que busca. E ele daria tudo para ter aprendido isso antes. Existe uma diferença entre o que você quer e o que precisa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário